Baterista do Rolling Stones morre aos 80 anos

O músico Charlie Watts, baterista do Rolling Stones, morreu, nesta terça-feira (24), aos 80 anos de idade. A causa da morte não foi revelada.

Coube a Bernard Doherty, agente do artista, encaminhar comunicado à imprensa britânica.

- É com imensa tristeza que anunciamos a morte de nosso amado Charlie Watts - escreveu.

E acrescentou

- Charlie era um querido marido, pai e avô e, também como membro dos Rolling Stones, um dos maiores bateristas de sua geração. Pedimos, gentilmente, que a privacidade de sua família, membros da banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil - disse Doherty.

Watts entrou para o Rolling Stones em 1963. Mick Jagger, Keith Richards e Charlie Watts eram os membros mais antigos dos Stones, já que o grupo sofreu alterações desde que foi criado em 1962.

Watts era calmo, tímido, discreto e não gostava de dar entrevistas.

- Tocar bateria é a única coisa que me interessa. O resto me faz passar vergonha - resumiu muito bem os momentos de fama, em rara entrevista de 20 anos atrás.

Charlie tinha alguns problemas de saúde. Em 2004, passou por um câncer. Mas, ao pegar a Covid-19, as debilidades se aprofundaram. Em agosto deste ano, ele chegou a

- Depois de todo o sofrimento causado pela Covid, eu realmente não quero desapontar os fãs do Stones que já estão com seus ingressos com mais um anúncio de adiamento ou cancelamento. Por isso, pedi para meu grande amigo Steve Jordan para me substituir - explicou.

Ele deixa mulher, uma filha e uma neta.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários