Austrália mata cachorros resgatados para evitar infecções por Covid-19

O condado de Bourke Shire, na Austrália, matou 15 cachorros (10 deles filhotes) para evitar que voluntários viajassem da cidade de Cobar até um abrigo. Para tomar a decisão, o governo local justificou o aumento de casos de Covid-19 causados pela variante delta.

As autoridades locais também alegaram que o espaço estava superlotado e que havia animais atacando uns aos outros.

- Tentando impedir as pessoas de outras comunidades de entrarem em Bourke, dado o nível de vulnerabilidade da comunidade e o fato de todas as regiões de Nova Gales do Sul estarem sob ordens de permanência em casa, foi tomada a decisão junto do conselho de sacrificar os cães - explicou o condado.

O caso dos cãezinhos mortos a tiros viralizou na internet e o Escritório de Governos Locais já está com uma investigação em andamento; já que o governo de Nova Gales do Sul havia determinado que abrigos de animais poderiam continuar operando com os devidos protocolos de segurança sanitária e a cidade de Cobar sequer teve registro de infecções por coronavírus, recentemente.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários