Talibã tem o jogo na mão e manda Biden retirar os soldados americanos antes do previsto

O presidente americano, Joe Biden, está numa situação, um pouco vexatória. Ele deu a ordem para que as tropas americanas se retirassem do Afeganistão até o dia 11 de setembro, quando completam 20 anos do atentado terroristas às Torres Gêmeas. Mas, o Talibã resolveu mostrar a que veio e determinou que o exército saia até o dia 31 ou então....

Parlamentar com larga experiência na política, faltou a Biden a determinação e a coragem do seu antecessor, Donald Trump. Durante o mandato dele, o republicano não deu sossego aos extremistas e, assim, manteve a pobre população de civis afegãos seguros por mais uns anos.

Ordenar a retirada extemporânea das tropas no Afeganistão foi a maneira mais desastrosa que um político americano efetuou em todos os tempos. Na visão do democrata, ele quis encerrar uma guerra e poupar milhões de dólares aos americanos. Mas, na verdade, Biden transformou estupidez em derrota.

Censurado por autoridades de todo mundo, o Embaixador dos Estados Unidos no Afeganistão, durante a presidência de Barack Obama, resumiu bem.

- Tem uma resposta que abrange tudo: nossa falta de paciência estratégica em momentos críticos, inclusive por parte do presidente Joe Biden - escreveu Crocker, nas redes sociais.

Tony Blair, que saudou Biden como “o homem certo na hora certa”, voltou atrás e disse.

- Nós não precisávamos fazer isso. Nós escolhemos fazer isso. E o fizemos por força de um slogan político imbecil sobre encerrar as ‘guerras eternas’, como se nosso engajamento em 2021 fosse remotamente comparável ao de vinte ou dez anos atrás, em circunstâncias nas quais os números de tropas caíram a um mínimo e nenhum soldado aliado perdeu a vida em combate nos últimos dezoito meses - afirmou.

Segundo o jornal Daily Wire, o deputado Howard of Lympne, do Reino Unido, declarou:

- Temo que a decisão do presidente Biden de se retirar do Afeganistão seja, e será vista pela história como, um erro catastrófico que pode muito bem ser o legado definidor de sua presidência - definiu.

O colega de Lympne na Câmara de Lordes, Ricketts, completou:

- A China é o principal beneficiário da decisão do presidente Biden. ‘América está de volta’ agora soa um tanto vazio - ironizou.

Biden que, tenta seguir o roteiro proposto pela equipe de crise da Casa Branca, falou uma verdade em frentes às câmeras.

- Não posso prometer qual será o resultado final ou que será sem risco de perdas - admitiu.

Fato. Não pode mesmo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários