STF solta operador responsável por desvio milionário de recursos da saúde no Pará

O ministro do Supremo Tribunal federal (STF), Dias Toffoli, concedeu habeas corpus e pôs em prisão domiciliar um dos investigados e presos pela “Operação Reditus”, da Polícia Federal (PF).

Nicolas Tsontakis Morais é suspeito de envolvimento no desvio de, aproximadamente, R$ 300 milhões em verbas federais destinadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 no Pará, cujo governador é Hélder Barbalho (DEM-PA).

O Ministério Público Federal (MPF) se manifestou contrário à soltura dele e de Regis Soares Pauletti.

Segundo as investigações, Nicolas, que é um dos maiores pecuaristas do Pará, é o operador financeiro do esquema de corrupção. Os contratos investigados pela PF ultrapassam R$ 1,2 bilhão e envolvem quatro organizações sociais, cinco hospitais regionais e quatro hospitais de campanha. Os desvios totais são estimados em R$ 455,6 milhões.

A Justiça Federal já determinou o sequestro de bens móveis e imóveis pertencentes a Nicolas no valor de R$ 150 milhões e também o bloqueio de valores presentes nas contas bancárias das pessoas físicas e jurídicas investigadas que totalizam mais de R$ 800 milhões.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários