Falta de chuvas faz Aneel manter bandeira vermelha 2 em setembro

Agosto foi um “mês de severidade”, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Mas, setembro, ao que tudo indica, vai manter o mesmo patamar de crise hídrica. Pelo menos, é o que a agência projeta para o próximo mês.

Nesta sexta-feira (27), a Aneel afirmou que manterá a bandeira tarifária vermelha 2, que é a mais cara. Pois, com pouco volume de chuva, os reservatórios no Brasil não enchem e isso atinge em cheio preços, consumo e capacidade de produção.

Atualmente, o valor da cobrança adicional está em R$ 9,49 por 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. Se for reajustada na próxima semana, a bandeira passará a custar R$14,20 por 100 kWh. O valor é maior do que o previsto pela consulta pública, porém menor do que o desejado pela área técnica da Aneel.

- A perspectiva para setembro não deve se alterar significativamente, com os principais reservatórios do SIN atingindo níveis consideravelmente baixos para essa época do ano. Essa conjuntura sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e necessidade de acionamento máximo dos recursos termelétricos, pressionando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) e o preço da energia no mercado de curto de prazo (PLD) - explica a Aneel.

Mas, ainda há uma luz no fim do túnel porque a Aneel finalizou o comunicado, afirmando que há possibilidade da maior bandeira tarifária ainda não ser utilizada. Porém, isso será divulgado posteriormente.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários