Bolsonaro afirma que não quer ruptura, mas "tudo tem um limite"

O presidente da República, Jair Bolsonaro, comentou sobre a desmonetização de canais conservadores e de direita no You Tube solicitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), neste sábado (28) e disse que não deseja “provocar rupturas”, mas que tudo teria “um limite”.

Bolsonaro, que está em visita oficial ao Estado de Goiás, participava de um culto no 1º Encontro Fraternal de Líderes Evangélicos, respondeu às perguntas dos apoiadores.

- A liberdade de expressão tem que valer para todos. Temos um presidente que não deseja nem provocar rupturas, mas tudo tem um limite em nossa vida. Não podemos continuar convivendo com isso - alertou.
- Uma ou duas pessoas tentam perverter a ordem pública com medidas arbitrárias, com medidas revanchistas, extrapolando aquilo que seria seu direito - disse, acrescentando que “não podemos admitir isso”, completou.

Na quinta-feira (26), o TSE mandou suspender os pagamentos de 14 canais de direita, sob a alegação de que divulgavam notícias falsas. O presidente disse que a decisão “abre brechas” para tribunais regionais apoiarem governadores.

- Quando um presidente do Tribunal Superior Eleitoral desmonetiza páginas de apoiadores do governo, ele abre brechas para que presidentes de Tribunais Regionais Eleitorais façam a mesma coisa para defender os respectivos governadores, isso não é democracia - explicou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários