Conheça o “Birdnesting”: novo modelo de divórcio em que os pais revezam as casas. Os filhos ficam

Tudo na vida muda. Tudo altera. Isso inclui também as modalidades de divórcios. Se, antigamente, nas separações, o preocupante eram os filhos terem que se deslocar de uma casa pra outra durante o compartilhamento da guarda; hoje, já existe quem esteja aderindo ao “birdnesting”.

Mas, o que seria isso?

É uma forma de fazer os filhos sofrerem menos nos divórcios. As crianças ficam em casa e apenas os pais se revezam de um lar ao outro. Dessa forma, em seu próprio “habitat”, sem mover uma palha, é esperado que elas sofram menos com as separações.

Pesquisas recentes apontam que permanecer na "casa da família" e passar um tempo com cada um dos pais tem dado muito certo e traz menos ansiedade para crianças e adolescentes.

Niklas Björling, 38, de Estocolmo adotou a modalidade por 8 meses e aprovou

- Queríamos manter a estabilidade das crianças, e não, simplesmente, desfazer tudo de uma vez - conta.

E acrescentou:

- As crianças podiam manter sua casa, a escola e os amigos como antes - completa.

Mesmo o “birdnesting” sendo uma modalidade nova, tem que ser entendido como um “arranjo temporário”; à medida em que as famílias vão se adequando à nova formação e aos impactos causados pelo divórcio.

Foi o que fez o ex-casal Gwyneth Paltrow e Chris Martin. Eles chamavam de “separação consciente” e, durante aquele período, ela estava sempre na casa do ex-marido. Até que os "ajustes" foram feitos e cada um foi, definitivamente, para o seu lado.

Avaliando o período em que esteve utilizando o “birdnesting”, Björling contou:

- Não me arrependo de ter feito... Mas, você quer ficar totalmente livre depois de um tempo - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários