PGR quer Roberto Jefferson em prisão domiciliar. Moraes analisará o caso

A subprocuradora da Procuradoria-Geral da República (PGR), Lindôra Araújo, disse que o ex-deputado federal e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, precisa deixar o presídio de Bangu e passar a cumprir prisão domiciliar.

O ex-parlamentar foi preso em 13 de agosto depois que o ministro do Supremo tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou a detenção, alegando que Jefferson faria parte de uma suposta milícia digital. O ex-deputado costuma usar muito as redes sociais criticando a postura e interferência da Corte em outros poderes, principalmente, no Executivo Federal.

Lindôra afirma que existe “comprovação inequívoca da imprescindibilidade da prisão domiciliar para o indispensável tratamento médico incompatível com o sistema prisional”.

Moraes deverá analisar o pedido de prisão domiciliar.

Roberto Jefferson tem diabetes, hipotireoidismo, diverticulite, e sequelas do tratamento de câncer e de uma cirurgia bariátrica, além de problemas no intestino e no rim. O médico da penitenciária onde ele está preso já encaminhou laudo, há duas semanas, informando que o presidente do PTB não tem como ser assistido no local. Mas, a Corte ainda não respondeu ao documento.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários