Ex-ministro do Afeganistão trabalha como entregador na Alemanha

Sayed Sadaat, 50 anos, tinha cargo de alto escalão no governo do Afeganistão: era Ministro das Comunicações. Mas, na cidade de Leipzig, na Alemanha, ele trabalha como entregador de comida.

Em cima de uma bicicleta, Sadaat trabalha seis horas por dia. Nos finais de semana, o período é um pouco mais prolongado, das 12 às 22 horas.

- Não tem por que ter vergonha. É um trabalho como outro qualquer. Se há emprego, é porque há uma determinada demanda e que alguém deve se encarregar de satisfazê-la - comenta.

Milhares de afegãos tentam deixar o país, depois que o Exército americano abandonou a missão e o Talibã retomou o poder, após 20 anos.

Os afegãos já são o segundo maior grupo de migrantes na Alemanha e há, aproximadamente, 210 mil pedidos de asilo registrados desde 2015.

Em 2020, a segurança no país asiático começou a dar sinais de piora e o ex-ministro sentiu que era hora de deixar o Afeganistão. Mas, a mudança para outra nação foi dura para ele.

- Então, decidi ir embora (do Afeganistão) - diz ele, que ainda não sabe falar alemão, mas estuda o idioma 4 horas por dia, todos os dias.

Com um salário de 15 euros por hora, Sadaat afirma que não é muito, mas paga suas necessidades.

- É por um período limitado, até que eu encontre outro emprego - relata.

Por enquanto, a prioridade é a sobrevivência mesmo. Se for fora do Afeganistão, melhor ainda.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários