Mourão diz que não vê disputa entre os Poderes

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB – RS), comentou, nesta segunda-feira (30), que disputa entre os Poderes não "se arrefece".

A declaração foi dada, quando Mourão foi perguntado sobre um movimento liderado pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) e reforçado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) de suposta pacificação entre os Poderes.

Mourão respondeu:

São “entidades da sociedade civil com representatividade e que, consequentemente, vão sempre fazer valer o pensamento delas”.

No fim de semana, a Fiesp publicou um texto tratando da harmonia entre os Poderes. Mas, os representantes da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco do Brasil, que são instituições financeiras públicas, não concordaram com o manifesto e cogitam deixar a Febraban.

Mourão também avaliou o protesto agendado para o dia 7 de setembro, feriado nacional no Brasil, e que promete ser a maior manifestação de apoio ao Governo Bolsonaro até hoje.

- Independentemente da quantidade de gente que for na rua, será mais uma manifestação de apoio e não buscando uma ruptura institucional - reforçou.

Em outra ocasião em que foi questionado sobre o presidente Jair Bolsonaro pedir o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Mourão disse:

- Eu não sou o presidente. Eu não calço os sapatos do presidente. Minha situação é bem mais confortável - declarou, acrescentando que Bolsonaro tem o direito de pedir a saída de integrantes da Corte, como determina a Constituição.
- Começa pelo presidente do Senado analisar e ver se é o caso de colocar em andamento. Então, mais uma vez te digo: é uma luta política, dentro daquilo que prescreve a Constituição - explica.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários