TJ-RJ quebra sigilos fiscal e bancário de Carlos Bolsonaro

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos). Ele é filho do presidente Jair Bolsonaro.

O pedido foi feito à Justiça pelo MP carioca e deferido no dia 24 de maio. O Ministério Público do Rio quer apurar se Carlos está envolvido em esquema de "rachadinha" ou emprega funcionários fantasmas em seu gabinete.

Segundo reportagem da revista Época, em 2019, Carlos empregou sete parentes de sua ex-madrasta, Ana Cristina Valle, em seu gabinete na Câmara. Duas destas pessoas disseram, porém, que nunca trabalharam para o parlamentar.

A defesa de Carlos Bolsonaro explicou que a compra de um imóvel na Tijuca, na Zona Norte do Rio, já foi analisada pelo MP e o caso foi arquivado, em 2005, porque ficou constatado que era compatível com os rendimentos do vereador.

Já a quantia utilizada em 2009, para pagamento de uma despesa pessoal, também é compatível com os rendimentos do vereador, assim como os valores declarados à Justiça Eleitoral no ano de 2020.

Os sigilos de outras 26 pessoas e de sete empresas também foram quebrados.

O processo segue em segredo de Justiça.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários