Mourão contraria ministro de Minas e Energia e diz que pode “ocorrer algum racionamento”

O General do Exército, Hamilton Mourão, vice-presidente do Brasil, afirmou, nesta quarta-feira (1) que o Brasil pode racionar energia elétrica em virtude da crise hídrica no país.

- Olha, o que eu tenho acompanhado é que o governo tomou as medidas necessárias, criou uma comissão para acompanhar e tomar decisões, a tempo e a hora no sentido de impedir isso aí que você (jornalista) colocou (o risco de racionamento). Que haja apagão, mas pode ser que tenha que ocorrer algum racionamento. O próprio ministro (de Minas e Energia) falou isso. Vamos torcer, né? - declarou.

Bento Albuquerque, Ministro de Minas e Energia, no dia anterior, havia comentado em entrevista na televisão que o “risco de racionamento hoje é zero”. Mas, solicitou que a população reduza consumo de energia.

- Pelo contrário. Estamos tentando mostrar a gravidade da situação hídrica para que, de forma voluntária, os consumidores poupem energia. Assim, não vamos precisar importar, poderemos reduzir o uso da termelétricas e daremos mais flexibilidade ao operador do sistema - afirmou Albuquerque, acrescentando que todas as medidas possíveis foram implementadas pelo governo; a fim de evitar “apagões”.

A taxa extra cobrada na fatura custava R$ 9,49, mas subiu para R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kW/h) consumidos. A tarifa será cobrada de setembro deste ano a abril de 2022.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários