CPI inclui Onyx, Terra e Hang em lista de investigados

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), informou, nesta quarta-feira (1), que o empresário Luciano Hang, o Ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, e o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) foram incluídos na lista de investigados do colegiado.

Além deles, Cristiano Carvalho (representante da Davati), Emanuella Medrades (diretora da Precisa), o coronel Hélcio Bruno de Almeida (fundador do Instituto Força Brasil), Luiz Paulo Dominguetti Pereira (representante da Davati), o coronel Marcelo Bento Pires (ex-assessor do Ministério da Saúde) e Regina Célia Silva Oliveira (fiscal do contrato da Covaxin) também serão averiguados.

Fora a lista, Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI, disse que a Comissão encaminhou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, denúncia apresentada pelo senador Humberto Costa (PT-PE) de que o prefeito de Cerro Grande do Sul (RS), Gilmar João Alba, teria sido flagrado com R$ 505 mil no aeroporto de Congonhas, em voo fretado.

O dinheiro, segundo o petista, seria utilizado para financiar as manifestações a favor do Governo Bolsonaro, no dia 7 de setembro. O Supremo tem alegado que os protestos são atos antidemocráticos.

A denúncia feita pela CPI não tem nada haver com o objeto de investigação do colegiado, mas Aziz justifica que todo “crime” deve ser relatado às autoridades.

- Faz parte de qualquer democrata encaminhar essa denúncia às autoridades de investigação -

O relator da CPI não explicou os motivos que levaram à inclusão de cada uma das pessoas na lista de investigados.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários