VÍDEO: Amanda Klein debocha de Zoe Martinez e ativista declara: “Vão calar a tua boca e você não vai ter a liberdade de expressar a sua opinião”

A ativista cubana Zoe Martinez perdeu a paciência com a comentarista política Amanda Klein durante a cobertura das manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (7), na Jovem Pan.

Amanda, que é jornalista de esquerda, defendeu as recentes prisões de comunicadores pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, e alegou que o presidente Bolsonaro era a favor de atos antidemocráticos.

Zoe rebateu a declaração da comentarista e disse que quem não respeita a democracia é a esquerda e que, quando eles (esquerda) chegam ao poder, costumam “calar a boca” de quem expressa a sua opinião.

- A minha pauta é liberdade, como uma pessoa que viveu na pele o que eu vivi. Para quem não sabe, eu sou de Cuba. E minha assusta muito a situação que eu estou vendo aqui no Brasil, porque tudo está se encaminhando para uma ditadura. E você, querida, que é da imprensa, por mais que seja da esquerda e a apoie, a esquerda é antidemocrática. Quando ela (a esquerda) chegar ao poder e acabar com tudo como fez em Cuba, vão calar a tua boca também e você não vai ter a liberdade que tem hoje de expressar a sua opinião, por mais sem noção que seja” - relatou a ativista que fugiu de Cuba há anos.

Amanda debochou da cubana e disse:

- Tá aí a defensora da liberdade, gente. Olha aí a defensora da liberdade - ironizou.

Zoe respondeu à altura o deboche da colega e deu a ela uma aula sobre a história de Cuba; fazendo Amanda arregalar os olhos de assustada.

- Não sou eu que estou falando!! É o que aconteceu no meu país!! Jornais, como o ‘La Bohemia’, que era a revista mais famosa de Cuba, o dono apoiou Fidel e depois teve que se exilar na Venezuela, porque desapropriaram as dependências da revista. Foi assim que o Fidel agradeceu ele” — disse a ativista.
- Que ajudou, que inventou mortes, colocou nas costas do Batista pro povo parar de apoiar o Batista e apoiar a Revolução do Fidel e se suicidou na Venezuela por peso na consciência, de ter ajudado a formar o que aconteceu em Cuba – finalizou, deixando Amanda pensativa e assustada.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários