Após Bolsonaro divulgar carta, STF retribui “gentileza” e recua em ações pré-agendadas

Após o presidente da República, Jair Bolsonaro., divulgar carta em que pede a pacificação dos Três Poderes, integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) retribuem “gentileza” com “aceno” de melhoras nas relações entre as autoridades.

A ministra Cármen Lúcia, por exemplo, negou pedido para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), fosse obrigado a analisar pedidos de impeachment de Bolsonaro. A Corte, por sua vez, revogou mandado de prisão do jornalista investigativo Oswaldo Eustáquio, que havia sido determinada pelo ministro Alexandre de Moraes.

Além disso, o habeas corpus do caminhoneiro Zé Trovão deve ser analisado em poucas horas e ele poderá voltar para o Brasil, sem ser preso pela Polícia Federal.

Por fim, a defesa do deputado federal Daniel Silveira (PSL), notando que o “mar está pra peixe”, entrou com novo pedido de liberdade e está esperançosa que o Supremo não vai negar, como das últimas vezes.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários