Gilmar Mendes mostra “bandeira branca”: “Temos de acreditar na boa-fé de Bolsonaro”

Em entrevista à Folha de S.Paulo, divulgada, neste sábado (11), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, mostrou um lado nunca visto antes: tom apaziguador. Nem mesmo quando as perguntas foram relativas ao presidente da República, Mendes, esboçou o tom irônico que sempre teve.

- Vamos aguardar. Temos de acreditar na boa-fé da manifestação e vamos aguardar os desdobramentos - explicou Gilmar.
- Precisamos de diálogo e precisamos verter nossa energia para esse imenso desafio de reconstrução nacional, de superação desse estado de coisa - completa o magistrado.

Após a nota divulgada por Jair Bolsonaro, na quinta-feira (9), Gilmar Mendes disse que era preciso acreditar na boa fé do presidente e que ele, como membro integrante da Corte “ficava com a nota”.

Embora tenha acenado para um futuro promissor entre os Poderes, ainda assim defendeu o inquérito das Fake News, que investiga apenas aliados do presidente, políticos e jornalistas de direita.

- Não fosse o inquérito das Fake News, nós provavelmente já teríamos derrapado para um modelo de perfil muito autoritário; porque nós estávamos vivendo um quadro de crescente crise, ameaça de invasão do próprio tribunal a partir de fundamentos falsos. Atribuem ao tribunal feitos dos quais ele não participou – alegou, sem explicar que inquérito semelhante foi arquivado pelo ministro Alexandre de Moraes por falta de provas. Ao encerrar uma investigação, Moraes abriu logo outra e as apurações continuaram do zero.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários