Ex-presidentes: Agora, é Sarney quem dá uma “ajudinha” ao Governo Bolsonaro

Depois que o presidente Jair Bolsonaro divulgou uma carta, apaziguando os chefes dos Três Poderes, nesta quinta-feira (9), agora é o ex-presidente José Sarney (MDB-MA) quem promete usar de sua influência para dar uma “ajudinha” ao ex-Advogado-Geral da União (AGU) e pastor evangélico, André Mendonça; a fim de que ele possa ser sabatinado pelo Senado Federal e, assim, assumir a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

Mendonça foi indicado em junho, mas, até hoje, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa e responsável por marcar a data da sabatina, não agenda o evento. André Mendonça já é o indicado ao STF que mais espera na história do Brasil. Antes, os atuais ministros esperaram não mais que sete dias corridos.

Com Sarney, que é líder da bancada do MDB, intensificando os apelos e lideranças evangélicas dentro e fora do Congresso Nacional buscando uma reunião com o presidente do Senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a expectativa é que Mendonça seja sabatinado em breve. Afinal, o Senado “segurava” a nomeação do AGU em virtude das consequências das manifestações do 7 de Setembro.

Bolsonaro deu o primeiro recuo, esperando que os congressistas e o Judiciário façam o mesmo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários