Durante um ano, Fux gastou o equivalente a R$ 1,3 milhão em voos da FAB

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, durante um ano em que a pandemia da Covid-19 esteve ativa no Brasil, utilizou o jatinho da FAB para voltar pra casa nos finais de semana.

Com receio das aglomerações, Fux gastou o equivalente a R$ 1,38 milhão. O valor é quatro vezes maior do que todas as despesas do STF com passagens aéreas para servidores e ministros no mesmo período: R$ 310 mil.

Só para se ter uma ideia do valor astronômico, as despesas com passagens aéreas dos demais ministros custaram R$ 22 mil e as dos assessores e seguranças aos integrantes do STF totalizaram R$ 123 mil.

Para o jatinho da FAB se deslocar no trajeto Brasília-Rio de Janeiro-Rio de Janeiro-Brasília, custa, aproximadamente, R$ 30 mil. Porém, Fux fez viagens a São Paulo e Manaus também.

Fux também não é muito adepto de compartilhar viagens com outras autoridades, o que reduz pela metade as despesas. Durante um ano, ele só dividiu a aeronave em cinco ocasiões porque ele costuma levar assessores e seguranças com ele e isso impossibilita a entrada de outros passageiros no avião.

Pior que Fux apenas o ministro Dias Toffoli, quando era presidente do STF. O magistrado viajou tantas vezes pela FAB que chegou a ir até Israel com o avião.

Embora os valores exorbitantes, os presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do STF, o vice-presidente da República, ministros de Estado e comandantes militares têm direito a usar os jatinhos da FAB nos seus deslocamentos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários