Ao descobrir câncer, mulher grávida prefere amputar perna a abortar

A inglesa Kathleen Osborne, de 28 anos, descobriu um câncer na perna, quando estava grávida do terceiro filho. Os médicos deram a ela duas opções: abortar o bebê ou amputar a perna para que a quimioterapia pudesse ser feita.

Kathleen optou pela segunda escolha e, em maio, deu à luz à filha Aida.

– Estou feliz por ter decidido perder minha perna porque ela me deu minha filha. Se eu não tivesse amputado naquela época, eu a teria perdido e estaria fazendo quimioterapia; o que poderia nem mesmo ter salvado minha perna no final. Eu não a teria se não fizesse isso, então valeu a pena – disse a inglesa.

Kathleen já era mãe de dois meninos: Hayden, de 9 anos, e Leo, de 5 anos. Mas, ter uma garotinha sempre foi o sonho dela e a mulher não pestanejou.

– Eu sempre quis uma menina e agora ela está aqui, então estou feliz por ter feito isso. Eles também sempre quiseram uma irmã, então foi melhor assim, para ser honesta. Ainda estou muito feliz com minha decisão. Eu disse aos meninos que os Transformers estão construindo para mim uma nova perna e eles ficam perguntando quando ela vai chegar – brincou.

E completou:

– Eles me deram uma semana para tomar a decisão e me disseram que quanto antes eu fizesse a cirurgia, melhor. Achei melhor escolher ficar com meu bebê e perder minha perna. Provavelmente perderia minha perna de qualquer maneira – disse ela, que já enfrentou o câncer por três vezes.
– Não sei quanto tempo me resta. Podem ser anos, podem ser apenas meses. Eu só quero fazer quantas coisas eles quiserem. Eles realmente querem ir para a Disneylândia, o que ainda não podemos fazer devido à Covid-19, mas espero que possamos no futuro. Contanto que eles tenham memórias comigo e eles se divirtam comigo tanto quanto possível. Posso ir então, contanto que eles estejam felizes – declarou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários