Hajime Isayama, criador de Attack on Titan, responde às críticas pelo final da obra

Um dos mangás mais populares no mundo geek japonês, Shingeki no kyojin, também conhecido como Attack on Titan, chega ao fim este ano. Desde seus primeiros capítulos publicados em 2009, a história em quadrinhos tem chamado bastante atenção não só do público oriental como do ocidental.

A legião de fãs que a obra tem é resultado da complexa e peculiar história que Hajimi Isayama apresenta no mangá, sem falar das marcáveis aberturas e trilhas sonoras presentes no conto. Os personagens extremamente bem desenvolvidos também contribuem para a popularidade do trabalho. Segundo a Oricon, apenas em 2014, a série teve 30 milhões de volumes vendidos.

Porém, atualmente, o rumo que os personagens tomaram e o fim da história não tem agradado a uma considerada parcela dos fãs de Shingeki. Então, depois de ouvir várias críticas, Isayama decidiu respondê-las em uma entrevista que concedeu com Kodansha, empresa que publicava seus volumes.

- Isayama percebeu que o clímax foi um tema muito difícil para ele produzir. Então, ele se arrepende de não ter se expressado mais claramente no mangá. Ele achou que iria agradar a todos com o final. Ele pede desculpas para os que se desapontaram, mas agradece também pelo apoio - explicou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários