Renan Calheiros vai pedir indiciamento de Bolsonaro por prevaricação

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, vai pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por suposta prevaricação. O relatório final do congressista afirma que o chefe do Executivo não acionou os órgãos de investigação sobre denúncias de irregularidades na negociação da vacina indiana Covaxin, que nunca foi comprada pelo Ministério da Saúde.

Alem da suposta prevaricação por uma compra que nunca ocorreu, a cúpula da CPI da Covid, formada por senadores de oposição ao Governo Bolsonaro, deve apresentar o texto-final da investigação, nesta quinta-feira (23), incluindo a existência de um suposto “gabinete paralelo” da Saúde, a publicidade de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus e a demora na aquisição de vacinas.

O atraso na compra de vacinas pelo Governo Federal é um ponto bastante polêmico porque os depoentes que a CPI chamou já confirmaram, inclusive, alguns não fazem parte da equipe de Bolsonaro, que não houve demora na compra do imunizante. Apenas não existiam fármacos disponíveis.

Renan qualificou a conduta do Governo Bolsonaro na condução da pandemia da Covid-19 como “escabrosa” e disse que a CPI vai comprovar a existência de "políticas de testes com humanos".

Embora seja ferrenho opositor do presidente Bolsonaro, Renan alegou que nunca quis prejudicá-lo.

- Nunca quisemos transformar a CPI em tribunal de exceção - despistou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários