CPI quer ouvir Queiroga e Hang antes de concluir os trabalhos

Após saber que o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, está contaminado com a Covid-19 em viagem a Nova York com o presidente da República, Jair Bolsonaro, o relator da CPI da pandemia, o senador Renan Calheiros (MDB-Al), informou os trabalhos da Comissão só devem encerrar depois de ouvir o chefe da pasta e o empresário Luciano Hang.

Se aprovado pelo colegiado, este será o terceiro depoimento do cardiologista à CPI. O pedido da convocação de Queiroga será avaliado, nesta quinta (23).

- Só podemos terminar a CPI depois de ouvirmos o Queiroga - disse Renan, que já prepara a série de perguntas ao médico.

A cúpula da CPI, composta por senadores de oposição ao Governo Bolsonaro, quer respostas sobre alguns temas: a defesa de Bolsonaro sobre o tratamento adiantado da Covid-19, a contaminação de Queiroga (mesmo após ter sido vacinado com duas doses do imunizante contra o coronavírus) e as críticas do presidente contra o passaporte sanitário.

- (...) Não creio que a gente demore duas semanas para concluir a CPI. Acho que já chegamos no nosso limite. O limite era a investigação e aprofundamos bastante as investigações. Muitas coisas que a população não tinha conhecimento. Agora, não adianta esperar o ministro Marcelo Queiroga. Espero que ele se restabeleça o mais rápido possível, mas essa é uma doença que não tem previsão de alta e que você pode dizer que pode estar curado daqui a 14 dias - avisou o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que deseja concluir as apurações o mais rápido possível.

Já o depoimento do empresário Luciano Hang está aprovado desde junho, mas ele nunca foi convocado. Os senadores queriam ouvi-lo sobre uma questão familiar e muito pessoal: saber se a mãe dele, Regina Modesti Hang, utilizou medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus antes de falecer.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários