VÍDEO: Dilma confessa que PT ia regular a imprensa no governo dela, mas Cunha atrapalhou

A ex-presidente impeachmada, Dilma Roussef (PT), afirmou que o ex-deputado federal Eduardo Cunha impediu que o debate sobre a regulamentação da imprensa brasileira avançasse na Câmara dos Deputados, durante o governo da petista. Cunha alegou a crise política instaurada no Brasil, à época, que levou ao impeachment dela, em 2016.

A afirmação foi prestada, em nota, encaminhada ao jornal Folha de S.Paulo, que perguntou à petista sobre os motivos pelos quais o debate não avançou, quando ela estava no poder.

Lula foi quem citou um projeto de lei elaborado pelo jornalista Franklin Martins, que era Ministro das Comunicações no Governo de Lula. Mas, a proposta foi engavetada nos anos seguintes.

Dilma admitiu que a prioridade do primeiro mandato dela era, realmente, aprovar o Marco Civil da Internet, que havia sido aprovado em 2014, e, no segundo mandato, fazer um “amplo debate” sobre a “concentração dos meios de comunicação”.

Porém, segundo Dilma, tudo mudou quando Eduardo Cunha foi eleito para a presidência da Câmara dos Deputados, no início de 2015. Ela acusou Cunha de fechar acordo com mídias tradicionais, entre elas, a Globo, e, assim, impedir que o Marco avançasse.

O Marco Civil da Internet, caso fosse aprovado, iria regular totalmente as mídias no país, principalmente, os jornais e profissionais independentes.

Lula, que é pré-candidato às eleições de 2022, já adiantou que o assunto será retomado em seu governo; caso ele ganhe as eleições presidenciais do ano que vem.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários