Jon Jones é preso acusado de violência doméstica

O lutador americano de UFC, Jon Jones, 34 anos, voltou às páginas policiais, nesta sexta-feira (24), preso acusado de agressão por violência doméstica e "tampering" com veículo (podendo ser roubos pequenos de itens em veículos abertos ou destrancados até adulteração de veículos com intuito de machucar outras pessoas), em Las Vegas.

O boletim de ocorrência atesta violência doméstica em primeiro grau e lesão/tampering com veículo no valor de US$ 5.000 ou mais. Jones recebeu uma fiança aproximada de US$ 8 mil (cerca de R$ 42,7 mil na cotação desta sexta-feira). A audiência está agendada para este sábado (25).

Jon Jones estava afastado dos ringues desde o princípio de 2020 e reapareceu nesta quinta-feira (23), para receber uma homenagem do Hall da Fama do UFC.

Ainda não há detalhes do incidente, mas Jones foi preso na madrugada desta sexta, num hotel localizado na Las Vegas Strip, uma região de hotéis e cassinos da cidade.

Na quinta-feira, quando foi homenageado, Jones estava acompanhado da noiva, Jessie Moses, e das três filhas do casal. No seu discurso, ele agradeceu à companheuira e disse:

- Minha nutricionista, minha segurança, ela faz de tudo. Ela aguenta todo tipo de situação para mim. Sem esta mulher, quem sabe onde eu estaria? - afirmou.

Jon Jones tem afirmado na imprensa que está longe da bebida há anos. Ele já foi preso outras duas vezes por acidentes com automóveis: em 2012, embriagado, bateu o veículo num poste. Em 2015, bateu de novo o carro e fugiu do local. Já em 2019, o lutador foi acusado de molestar uma dançarina em uma casa noturna.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários