O dia em que o Vasco de Romário deu o maior "drible" da história na Globo

No ano de 2001 a equipe do Vasco da Gama chegou a sua quarta e, até então, última conquista do Campeonato Brasileiro, sendo naquela temporada - organizado pelo Clube dos 13 - a edição com o maior número de times até hoje.

Porém, outro acontecimento eternizou aquele torneio.

A equipe cruzmaltina chegou à final contra o São Caetano e após empatar o jogo de ida em São Paulo, teve a oportunidade de decidir em casa, São Januário.

Enquanto a partida ainda estava empatada na primeira etapa, o atacante Romário foi substituído por conta de uma lesão na coxa, o que gerou confusão por parte da torcida organizada vascaína, no tumulto o alambrado cedeu e 168 torcedores acabaram feridos, ambulâncias entraram em campo e também helicópteros para prestarem socorro.

A partida foi paralisada e imediatamente o governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho deu ordens para que o jogo não continuasse, o que gerou revolta no então presidente do clube carioca Eurico Miranda, que insistia que a situação estava sob controle e a disputa deveria ser retomada.

Outra proposta seria a de que o Vasco fosse declarado campeão, já que o resultado de 0x0 era o suficiente para o Gigante da Colina levar o troféu, porém o jogo foi cancelado e adiado para cerca de um mês depois.

A polêmica se tornou mais forte quando Eurico reclamou que a Rede Globo estaria manipulando as informações sobre o ocorrido, fazendo com que o presidente torna-se o grande "vilão" da história.

A resposta de Eurico Miranda e do Vasco veio em campo, a nova partida foi realizada no Maracanã e, novamente, transmitida pela Globo, ao entrar em campo os vascaínos surpreenderam a todos estampando o símbolo do SBT, grande rival da emissora carioca.

Segundo o próprio dirigente, a equipe não ganhou nada e utilizou a estampa em forma de homenagem a quem não os caluniou.

Durante a partida houveram diversos cânticos por parte da torcida xingando a Globo e elogiando a SBT, estes que a transmissão de Galvão Bueno tentou disfarçar. O jogo terminou em 3x1 para a equipe carioca dessa fez levando o troféu.

Lembrando que os clubes não podem ser patrocinados por empresas de comunicação, porém o STJD considerou o ato como homenagem e manteve o título do Vasco, “na camisa do Vasco eu coloco o que eu quiser” declarou o grande ícone vascaíno Eurico Miranda.

Uma história marcante!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários