Fux admite que STF sofre profundo desprestígio nacional, mas diz que Supremo não interfere no Executivo Federal

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, comentou sobre a desconfiança da sociedade brasileira em relação aos ministros integrantes da Corte e admitiu que o Judiciário "sofre de profundo desprestígio".

Na visão dele, a suspeita do cidadão decorre de problemas políticos não resolvidos no país. A declaração foi dada, neste domingo (26), durante a abertura do seminário Jornadas Brasileiras de Direito Processual.

Fux comentou a pesquisa do Instituto Datafolha, afirmando que a maior parte dos brasileiros (38%) não confia no STF.

- O Supremo Tribunal Federal, hoje, sofre com um profundo desprestígio exatamente porque os ‘players’ da arena política não resolvem seus problemas e jogam para o Supremo resolver. A sociedade está dividida em relação àqueles valores morais ou àquelas razões públicas, o Supremo decide e acaba desagradando – alegou.

E completou:

- Quando se fala em judicialização da política e das questões sociais, não existe a jurisdição, a função não se exerce sem que ele (STF) seja provocado. O Supremo não se mete em nada. O Supremo é provocado e tem de dar uma resposta – justificou as mais de 120 interferências do Supremo no Governo do presidente Jair Bolsonaro, nos últimos dois anos.

Em virtude das constantes intromissões do Poder Judiciário no Legislativo e no Executivo Federal, Bolsonaro chegou a pedir o impeachment do ministro Alexandre de Moraes, mas a solicitação foi barrada pelo presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários