Sete fatos interessantes e surpreendentes sobre as profundezas do oceano

Apesar de ter o nome Terra, nosso planeta tem cerca de 70% da sua superfície coberta por Água.

No entanto, conhecemos apenas cerca de 5% desse mundo aquático.

Na verdade, podemos falar que, sem dúvidas, o homem conhece mais o espaço do que as profundezas dos oceanos.

Neste artigo nós vamos apontar sete curiosidades sobre as profundezas do oceano.

Confira abaixo:

7. Bioluminescência

Nas profundezas do oceano, há uma grande variedade de espécies que são capazes de produzir luz em seu próprio corpo.

Em uma das belas “contradições” da vida, muitas destas espécies com bioluminescência não enxergam muito bem.

6. Vulcões Submarinos

Vulcões são especialmente comuns no fundo dos oceanos.

Estas magníficas estruturas geralmente estão localizadas no ponte de encontro ou separação entre duas placas tectônicas.

5. Fontes Hidrotermais

Nas profundezas dos oceanos, muitas formas de vida fazem destas fontes hidrotermais verdadeiros carregadores de energia.

Elas são fissuras presentes na crosta oceânica de onde emergem fluidos geotermais — aquecidos por lava.

4. Planícies Abissais

Esta área cobre cerca de 40% de todo o fundo oceânico, mas ainda não são os lugares mais profundos.

Quem ocupa essa posição são as fossas oceânicas ou abissais. Confira a seguir.

3. Fossas Oceânicas ou Abissais

As fossas oceânicas são regiões de encontro entre placas tectônicas, onde a temperatura fica em torno de 0 a 2 °C.

Estas fossas são enormes depressões geográficas que têm uma profundidade média de 7 a 8 km.

2. Escuridão

A luz não é capaz de alcançar grandes profundidades nos oceanos.

Para se ter uma ideia, um mergulhador que se aproxima dos 200 metros de profundidade já começa a deixar de perceber a cor azul.

Dali para baixo, é um mergulho na total escuridão.

1. Pressão

A pressão das profundezas dos oceanos é implacável para os seres humanos.

Para um de nós chegar a uma alta profundidade, é necessário um traje de mergulho tão complexo quanto o traje de astronautas — ou talvez até mais.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários