Hang diz que imparcialidade e apuração da imprensa estão esquecidas em livros e que CPI usa morte da mãe dele de “forma política”

O empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, disse, em depoimento nesta quarta-feira (29), à CPI da Covid-19, que é vítima frequente de Fake News, mas não se arrepende de “ter dado a cara à tapa”.

“Não abro mão da minha liberdade de expressão”, afirmou.

Hang também disse que os senadores de oposição ao Governo Bolsonaro, que fazem parte da cúpula da CPI da Covid, levantaram mentiras com respeito a ele e usaram de “forma política” o falecimento da mãe do catarinense, este ano.

O presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM), rebateu a crítica do empresário e disse que Hang foi quem utilizou primeiro a morte da mãe para defender o tratamento adiantado contra a Covid-19.

Em sua fala, Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão, ofendeu Hang de “bobo da Corte” e foi repreendido pelos colegas parlamentares.

Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) pediu ao presidente da CPI que garantisse o respeito ao depoente. Mas, Aziz e Omar negaram as ofensas.

Por fim, Renan incrementou regra nova determinando que Hang responda apenas "sim ou não" aos questionamentos da Comissão.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários