Hang vai processar senadores por exposição do atestado de óbito e prontuário da mãe dele: “Embora senadores, não podem cometer crime”

O empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, afirmou, nesta quarta-feira (29), que vai processar os senadores que compõem a cúpula da CPI da Covid-19 por expor o atestado de óbito e o prontuário médico da mãe dele em rede nacional durante sessão do colegiado.

Hang considerou que os congressistas de oposição ao Governo Bolsonaro cometeram “o maior crime” desde que o colegiado foi aberto em abril deste ano. Ao programa “Os Pingos Nos Is“, da Jovem Pan, o empresário garantiu a intenção de entrar na Justiça contra os parlamentares.

- Meus advogados já estão aqui e vão entrar no individual de cada senador. Embora eles sejam senadores, eles não podem cometer crimes. Não foi só um crime de documentos, foi um crime moral. É uma desumanidade o que fizeram com a minha mãe”, disse.
- Eu acho que ter aberto o sigilo da minha mãe, tanto o prontuário quanto o atestado de óbito, foi o maior crime que essa CPI fez durante todo esse período. Tentaram expor a minha mãe para ter um discurso político, tentar me irritar e quem sabe me levar preso para derrubar reputação - completou.

Após ter dado depoimento na CPI, Luciano Hang comentou que não entendeu os motivos de estar sendo inquirido pelo colegiado; uma vez que seu nicho de mercado é outro e as postagens que faz na internet são opiniões próprias, respaldadas na liberdade de expressão, em lei federal.

A cúpula da CPI da Covid-19 acusa o empresário de disseminar Fake News sobre a Covid-19 e o tratamento adiantado da doença, além de, supostamente, falsificar o atestado de óbito da mãe.

- A Prevent Senior, pelo que eu sei, tem cinco mil colaboradores. Aí, sai uma advogada, que parece uma advogada de porta de cadeia, pega alguns clientes e tenta manchar todo o trabalho que a operadora está fazendo desde o começo da pandemia. O que eu vejo são narrativas querendo prejudicar uma empresa que faz aquilo que eles não querem ouvir”, rebateu Hang aos senadores.

O depoimento do catarinense foi marcado por muitas ofensas. Logo em sua fala inicial, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que também é relator da Comissão, ofendeu Hang de “bobo da Corte” e foi censurado por colegas parlamentares que desaprovaram a atitude.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), por sua vez, proibiu o dono da Havan de usar adjetivos em suas respostas e Omar Aziz (PSD-AM) expulsou um dos advogados do empresário e disse que “quem mandava ali” era ele.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários