Pacheco diz que sabatina de Mendonça vai acontecer em outubro: “É algo que precisa ser resolvido”

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse, nesta sexta-feira (1), acreditar que a sabatina do ex-Advogado-Geral da União (AGU) e ex-Ministro da Justiça, André Mendonça, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) será realizada em outubro.

- Essa questão da indicação do ministro André Mendonça é algo que precisa ser resolvido. É bem verdade que enfrentamos para essa finalidade das indicações e da nomeação (…) algumas dificuldades porque estamos no sistema semipresencial e são situações que impõem a presença física em razão das votações secretas - comentou.
- Conversarei com Davi Alcolumbre, obviamente respeitando a autoridade dele como presidente da CCJ. Mas, sempre faremos a ponderação do melhor caminho, o caminho de consenso, para podermos resolver essa questão - explicou.

Pacheco já conversou com o presidente da CCJ, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), que é a pessoa responsável por agendar o evento. Além de Mendonça, outras indicações que o presidente Jair Bolsonaro fez também aguardam posicionamento do demista.

Questionado sobre os motivos que levam Alcolumbre a fazer o ex-AGU esperar tanto para ser sabatinado, Pacheco disse que não conhece os ensejos, mas negou os rumores de que o senador teria preferência por outro candidato à vaga do Supremo.

- Desconheço essa informação. As razões pelas quais ainda não foi feita a sabatina podem ser muitas, inclusive o fato de que isso exige o esforço concentrado e a presença (dos senadores) em Brasília. É algo complexo, é uma indicação para o STF. Há outras pendências também relativas ao Conselho Nacional de Justiça e ao Conselho Nacional do Ministério Público. Vamos fazer o arranjo necessário para resolver não só essa indicação, como outras tantas que estão pendentes - afirmou.

E completou:

- Ele (Alcolumbre) está ciente dessa responsabilidade e acredito muito na solução o mais breve possível dessa questão do ministro André Mendonça e das outras pendências que temos no Senado relativa a outras nomeações. Isso também é um fator de estabilização - Pacheco.

Mendonça já é o indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) que mais espera na história da Corte. Antes, em outros governos as indicações dos presidentes não esperavam mais que sete dias corridos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários