“O tráfico de drogas financia a esquerda”, denuncia analista política da Espanha

Cristina Segui, 43 anos, é uma das jornalistas mais importantes da Espanha. Nascida em Valência, uma das cidades mais populosas e mais visitadas do país, a comunicadora construiu uma carreira de destaque e credibilidade.

Bastante atuante nas questões que afligem o país, em 2014, ela chegou a, inclusive, filiar-se ao partido de direita Vox. Saiu, ainda no mesmo ano, cheia de dúvidas e decepções.

Atualmente, ela faz parte de jornais independentes com forte presença nas mídias sociais e garante sem medo de represálias: partidos de esquerda são financiados pelo narcotráfico latino-americano.

Destemida, Cristina sabe o ninho de cobras que tem sido obrigada a se relacionar há décadas, mas ela não poupa críticas a governos comunistas e, em entrevista recente, ela censurou até os brasileiros Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT.

Cristina analisa as conexões da esquerda ibero-americana e acompanha a atuação e a rede de favores entre governos socialistas na Europa e na América Latina. Ela garantiu que, a teoria disseminada pela esquerda de que o avanço das ideologias de direita coloca em risco a democracia, é uma grande mentira.

Entre muitos assuntos tratados na longa entrevista concedida, Cristina argumentou que a grande imprensa deve parar, imediatamente, de tratar esquerdistas criminosos como “ativistas políticos”. Ela traçou um cenário assustador e obscuro na Península Ibérica e na América Latina e disse que uma extensa rede de interesses une a esquerda nos dois lados do Atlântico.

Cristina denunciou que até mesmo a esquerda espanhola recebeu dinheiro público do Brasil, nos governos de Lula e Dilma.

- (...) Fundos arrecadados com o suposto trabalho de pesquisa e assessoria aos regimes políticos da esquerda ibero-americana, como os de Dilma Rousseff e de Luiz Inácio Lula da Silva, no Brasil - afirmou.

A comunicadora lamenta que a esquerda no mundo seja bem articulada. Disse que Maduro e Evo Morales são traficantes e que o dono do negócio dentro do Fórum de São Paulo, no Brasil, é José Luiz Zapatero.

Mesmo ameaçada por governos de esquerda, ela pintou um futuro nada promissor ao Brasil; caso imprensa, autoridades, políticos e o próprio cidadão se calem.

- É justamente em São Paulo que estão instaladas as principais bases da inteligência do Hezbollah, cubana, venezuelana e marroquina. Os setores mais radicais do Marrocos vão se instalar no Brasil e os chineses vão apoiar o Marrocos na maior cidade brasileira por meio de entidades como o Haitong Bank. Que, mais do que um banco, é a verdadeira agência de inteligência econômica chinesa - garantiu.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários