Carol Solberg volta a atacar Bolsonaro na TV, após polêmica dos absorventes

A jogadora de vôlei de praia, Carol Solberg, voltou a ser o centro das atenções em mais uma disputa política contra o Governo Bolsonaro. Desta vez, a atleta disse, em uma entrevista, que “fica muito triste” porque o chefe do Planalto vetou projeto de distribuição gratuita de absorventes para meninas e mulheres carentes.

– A gente tem um presidente que está defendendo o tratamento precoce nessa altura do campeonato. Isso é muito sério. Me dói muito ver o Brasil sendo representado por isso. A gente viu o presidente vetando, essa semana, a distribuição gratuita de absorventes para meninas, eu fico muito triste – disse.

A declaração de Solberg foi feita um dia após o presidente ir às redes sociais informar que faria a entrega da “forma correta” ao público. Ele argumentou que não poderia ter feito antes, sem, ao menos, verificar de onde sairia o valor de mais de R$ 100 milhões; já que a deputada federal Tábata Amaral (PSB-SP) não informou esse “detalhe” na medida que propôs.

- (...) Se eu sancionar, eu estou incurso em crime de responsabilidade no artigo 85 da Constituição, (pode originar um) processo de impeachment. Isso é uma irresponsabilidade com as pessoas mais humildes e que precisam. A despesa, ela alega, é de R$ 100 milhões. É muito mais! (...) Se tiver a fonte de receita, sem problema nenhum, sei da dificuldade de comprar. A Tábata, é mulher, pega a verba de gabinete dela e compra, arranja uma maneira de atender a população mais necessitada - explicou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários