Justiça afasta Sergio Camargo da gestão de servidores na Palmares

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, foi afastado da gestão de pessoal da instituição, nesta segunda-feira (11). A Justiça do Trabalho de Brasília atendeu a um pedido do Ministério Público do Trabalho, segundo o qual, Camargo teria assediado moralmente funcionários da instituição e cometido perseguição ideológica e discriminação. Ele nega e disse que vai recorrer da decisão.

- Os três patetas, liderados pelo barrigudo, uma ratazana repulsiva, não conseguiram o que queriam: me tirar do cargo. A Palmares recorrerá da decisão que me afasta da gestão de pessoal. Fui suspenso por três meses após a posse. Dessa vez, são traíras da direita. Vencerei de novo! - escreveu no Twitter.

Com o afastamento, Camargo fica impedido de nomear, exonerar, transferir servidores ou mesmo contratar empresas terceirizadas.

Esta não é a primeira vez que entidades tentam retirar Sérgio Camargo do cargo. Desde 2019, quando assumiu a presidência da Fundação, ele é questionado por artistas de esquerda a homenagear negros que tenham feito algo histórico para a “causa”. Camargo nega os pedidos e acredita que a comunidade negra não pode ser vitimista.

Em entrevista naquele mesmo ano, ele afirmou ser “negro de direita, contrário ao vitimismo e politicamente correto”.

ONGs ligadas aos direitos dos negros no Brasil argumentam que Camargo não pode ficar no cargo porque teria “alma branca”.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários