Tábata Amaral fala em processar Sérgio Camargo e presidente da Palmares rebate: “Mexeu com o negão errado”

A deputada federal Tábata Amaral (PSB-SP) pretende processar o presidente da Fundação Palmaraes, Sérgio Camargo, por ele ter compartilhado uma publicação que ela alega não ter divulgado.

Tábata foi uma das autoras do projeto que solicitava ao presidente Jair Bolsonaro a doação de absorventes para meninas carentes do Brasil. Porém, o texto foi muito criticado, inclusive por colegas parlamentares, por não conter em seu escopo o básico: de onde sairiam os recursos para custear a entrega dos itens.

Nas redes sociais, a deputada socialista foi duramente censurada e algumas pessoas compartilharam na internet uma frase atribuída a ela e que teria recebido resposta do presidente:

- Me deixa menstruar, Bolsonaro - teria escrito Tábata.

O chefe do Planalto teria respondido:

- E quando foi que eu proibi? -

Camargo também respostou o conteúdo e foi informado, pela grande imprensa, de que Tábata iria processá-lo por Fake News. É que, na verdade, Tábata não escreveu a frase que o presidente da Palmares indica. Ela levantou a hashtag #LivreParaMenstruar, com significado parecido.

Sérgio Camargo rebateu a parlamentar nas redes sociais e disse:

- Mexeu com o negão errado! - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários