Dean Cain, o Superman dos anos 90, desaprova versão bissexual do herói

O ator Dean Cain, de 55 anos, que integrou o elenco de Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman, comentou sobre a nova versão bissexual do herói, nos quadrinhos da DC Comics.

O eterno galã disse que a editora deveria abordar temas mais relevantes do que a sexualidade do herói.

- Por que eles não pegam ele e fazem ele lutar pelas injustiças que criaram os refugiados cuja deportação ele está protestando? Isso, sim, seria corajoso. Eu leria sobre isso. Ou lutar pelos direitos de mulheres de frequentar a escola e trabalhar e viver? E meninos não serem estuprados por homens, sob o confortável e agradável Talibã? - sugeriu Dean.

Ele acredita que a opção sexual do novo superman é mais uma “moda” do que algo novo.

- Eu não acho que seja corajoso ou ousado ou alguma nova direção louca. Se eles tivessem feito isso há 20 anos, talvez, isso fosse ousado ou corajoso. Mas, corajoso mesmo seria ter ele lutar pelos direitos de pessoas gays no Irã onde eles jogam você de um prédio pela ofensa de ser gay - argumentou.
- Tem um mal real no nosso mundo hoje em dia, corrupção real e governos que abusam seu poder… Seria ótimo abordar estes assuntos. Eu gostaria de ver uma personagem fazendo isso - completou.

Dean Cain, por sinal, entrou para a polícia de Idaho, nos Estados Unidos, em 2018. Ele é um grande fã e colaborador da corporação. Já fez doações e campanhas para arrecadar fundos. A vontade de ajudar seu país foi tão grande que ele fez juramento e passou a participar da patrulha uniformizada em período integral na comunidade e contribuir em projetos especiais.

- Heróis reais não usam capas. Eles usam uniformes, distintivos, estetoscópios. São integrantes da nossa polícia e serviços de emergencia - explicou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários