Cúpula da CPI da Covid vai fazer “ajustes” em relatório final que estava pronto

O grupo de senadores de oposição ao Governo Bolsonaro pretende utilizar a última semana de trabalhos do colegiado para reunir-se, alinhar e ajustar o relatório final de Renan Calheiros, que estava pronto, mas sofrerá “ajustes”.

Questionado se havia desavenças quanto ao teor do documento, Calheiros respondeu:

- Pelo que eu sei, não há nenhuma divergência com o que eu penso - despistou, mas admitiu que fará alterações no texto.

A CPI da Covid acusa o presidente Jair Bolsonaro de praticar 11 crimes durante o combate à pandemia do coronavírus no Brasil. Entre eles: homicídio comissivo por omissão, genocídio de indígenas, prevaricação, charlatanismo e crime de responsabilidade.

Bolsonaro nega e afirma que encaminhou bilhões em recursos federais para o enfrentamento da pandemia em Estados e municípios e reclama que Governadores e prefeitos são investigados pela Polícia Federal pelo desvio das verbas. Mas, a cúpula da CPI não quis investigá-los; afirmando que as Assembleias Legislativas estaduais poderiam cumprir esse dever.

- É natural que haja divergências em relação a alguns pontos. Nós não somos iguais. Vivemos em um grupo hegemônico, mas o segredo dessa convivência é que a gente sempre discute e combina as questões. Continuarei totalmente receptivo a sugestões - disfarçou Calheiros.

Além do presidente, a CPI planeja incluir os filhos dele por suposta divulgação de Fake News: o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos).

- Tem materialidade para a indicação da continuidade da investigação - alegou.

Na quarta-feira (13), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), mostrou-se impaciente com a demora na entrega do relatório final e comentou que espera um resultado “equilibrado”; para que a Casa possa “virar essa página” e seguir para outros temas.

- Como presidente do Senado espero que haja um parecer equilibrado que possa ser apreciado pela CPI e virarmos essa página obviamente atribuindo a outros órgãos, outras instâncias, a continuidade de apurações, investigações e responsabilizações – avisou.

A Comissão tem até o dia 5 de novembro para concluir os trabalhos, mas pretende terminar as atividades nesta semana.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários