Idosa acusada de ser "mula" morre de câncer em cela infestada de ratos

Susan Clarke, de 72 anos, morreu na prisão em que estava, em Portugal, em uma cela bem pequena, infestada de ratos e com mais três pessoas. Ela sofria de câncer de mama, mas cumpria pena de 8 anos de prisão por ter sido acusada de tráfico internacional de drogas. Dentro da mala da idosa, foram encontrados 9 quilos de cocaína. Ela viajava para o país com o marido em um cruzeiro.

Susan e o esposo alegaram que haviam sido enganados por criminosos. Mas, mesmo assim, foram condenados a oito anos, em setembro de 2019.

Os promotores não quiseram conversa com os idosos e acusaram os dois de trabalharem como “mulas” durante dois anos para os traficantes; fazendo viagens de cruzeiro para disfarçar o destino final dos entorpecentes.

Os médicos portugueses, por outro lado, disseram que o quadro dela era irreversível, que não havia nada a ser feito e interromperam o tratamento; levando Susan rapidamente à morte.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários