Carlinhos Mendigo é denunciado por críticas a público LGBTI+

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) denunciou o humorista Carlos Alberto da Silva, o Carlinhos Mendigo, ex-integrante do 'Pânico na TV', por crime de LGBTfobia.

Carlinhos declarou nas redes sociais, em julho deste ano, que "preferia ser órfão do que adotado por uma mulher operada que se passa por homem para ter o privilégio de adotar uma criança".

- Prefiro ser também órfão do que ser criado por um homem operado se passando também por mulher para querer ser mãe. Não existe jamais amor real nisso - comentou o rapaz, referindo-se a Thammy Miranda, que é homem trans.

O promotor de Justiça, Fernando Albuquerque Soares de Souza, alegou que os posts do artista incitavam o ódio e qualificam pessoas transgêneros como inferiores.

- Essas afirmações propagam o ódio, incitam a discriminação e induzem ao preconceito e à violação de direitos humanos –

Foi a Aliança Nacional LGBTI+ quem entrou com uma queixa-crime contra Carlinhos e o MP acatou. A entidade também processou o pastor evangélico, Silas Malafaia, que também censurou a Natura, empresa de comésticos, por usar Thammy como garoto-propaganda da marca no Dia dos Pais, em agosto deste ano.

- O Malafaia, entre outros, se acostumaram durante anos a debochar de nós. Não tínhamos uma lei que criminalizasse a LGBTfobia. Hoje, é crime de racismo, com pena de um a três anos de prisão, podendo chegar até cinco, e é inafiançável. Ele não vai mais debochar da nossa cara, porque a lei nos protege. Ele está cometendo um crime e deve ser punido por isso - afirma Agripino Magalhães, militante da Aliança.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários