Ciro promete desarmar população civil, caso seja eleito

O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), afirmou, na segunda-feira (11), em seminário virtual promovido pelo Núcleo de Estudos sobre Segurança Pública que, dois dos seus principais pilares de governo – caso seja eleito presidente do Brasil em 2022 – serão a implementação do desarmamento civil e a transformação do sistema de segurança pública

Em conjunto com os pedetistas e delegados da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Martha Rocha – atualmente deputada estadual – e Orlando Zaccone, o ex-governador cearense mostrou sua oposição às práticas do presidente Jair Bolsonaro, como exemplificado na proliferação do armamento sem rastreamento e no sucateamento das polícias.

- Se um dia eu for presidente desse país, arma na rua será apreendida; se não tiver na mão da polícia, com a devida autorização. Aliás, como eu já fiz no Ceará (…) Todas as armas serão recolhidas e será dado um prazo para quem quiser recolher voluntariamente - garantiu.

E acrescentou que o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, apoia o armamento da população civil porque, na visão dele, está preocupado em constituir um “segundo exército armado”.

- No delírio dele, está tentando criar uma milícia armada, que seria o exército de reserva, para fazer um golpe de Estado no Brasil - criticou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários