SBT recusa “qualquer possibilidade” de acordo trabalhista com Sheherazade

O SBT, de Sílvio Santos, resolveu partir para a briga com a ex-funcionária da casa, Rachel Sheherazade, e não aceitou fazer qualquer acordo trabalhista com a moça para findar o processo o quanto antes.

A ex-apresentadora do canal entrou com ação, em março deste ano, solicitando uma indenização no valor de R$ 20 milhões. Mas, deu a oportunidade da emissora resolver o caso com ela de forma “amigável”.

Os advogados do SBT afirmaram, em audiência, que a contestação da comunicadora não se sustentava, demonstraram com documentos a argumentação deles e rejeitaram qualquer proposta dela.

- Proposta da reclamada: não há. Conciliação Rejeitada - resumiram a decisão do canal.

Ao ser demitida da emissora, Rachel Sheherazade foi à Justiça reclamar de direitos trabalhistas que, segundo ela, não foram cumpridos durante os nove anos em que passou no canal, de 2011 e 2020. No processo, ela diz que nunca recebeu férias remuneradas e 13º salário e acusa Silvio Santos de assédio moral e humilhação em rede nacional, ao dizer que foi censurada e boicotada por parte da chefia de Jornalismo da emissora.

Rachel acredita que sairá vitoriosa na batalha judicial. Ela pediu ao ex-colega e também ex-contratado do SBT, Hermano Henning, 76 anos, que seja testemunha dela na ação. O jornalista aceitou.

Henning, por sinal, foi demitido da emissora em 2017, moveu uma ação trabalhista contra o SBT e ganhou o processo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários