Procurador da República será demitido por instalar outdoor homenageando a “Lava Jato”

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu pela demissão do Procurador da República, Diogo Castor, de 35 anos, ex-integrante da Operação da Polícia Federal “Lava Jato”, em Curitiba (PR). O motivo da exoneração seria a instalação de um outdoor em via pública, em março de 2019, em que Castor homenageava os bons resultados da Operação.

No outdoor, Castor colocou a imagem dos nove procuradores que faziam parte da “Lava Jato” e a frase:

- Bem-vindo à República de Curitiba. Terra da Operação ‘Lava Jato’, a investigação que mudou o país. Aqui, a lei se cumpre. 17 de março — 5 anos de Operação ‘Lava Jato’ — O Brasil Agradece -

O Conselho entendeu que o procurador cometeu ato de improbidade ao promover a instalação do outdoor e encaminhou o caso para a Procuradoria-Geral da República (PGR), sob o comando de Augusto Aras, para que o órgão escolha um subprocurador para ajuizar a ação judicial de demissão de Castor.

Diogo se defendeu das acusações e disse que o Conselho poderia ter convertido a demissão em suspensão; já que ele é réu primário e as condições são favoráveis.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários