Após término com Luísa Sonza, Vitão diz que tem boa relação com Whinderson: “Sempre fui fã dele”

O rapper Vitão, 22, disse, no podcast Podpah, que, apesar dos haters acharem o contrário, ele tem, sim, bom relacionamento com o humorista Whinderson Nunes, 26, ex-marido da cantora Luísa Sonza, 23, de quem ele também se separou, recentemente.

Ele contou que recebeu muitos ataques, quando iniciou o relacionamento com Luísa. Pois, devido à proximidade com o término dela e Whinderson, as pessoas passaram a supor que ele teria sido o pivô do divórcio.

- Eu lido até hoje (com os haters). Me deixou muitas sequelas emocionais. Eu acho que é um bagulho que deveria ter acontecido na minha vida, porque me fez crescer muito como homem, como ser humano, botar o pé no chão - explicou.

Vitão falou que tinha um bom relacionamento com o público e seguidores na internet, mas tudo mudou quando ele se envolveu com Luísa Sonza.

- Eu vinha, desde o começo da minha carreira, eu vinha de um momento de muita ascensão, de muita aceitação do público, todo mundo gostando muito, os meus números crescendo todo mês, tudo acontecendo fácil. Trabalhando muito, mas as coisas acontecendo, todos os artistas que eu gostava, colando em mim - lembrou.
- Esse bagulho aconteceu na minha vida, pra colocar meu pé um pouco no chão. Talvez, se eu seguisse assim, só tudo dando certo, talvez eu virasse um mano tipo ‘ah eu sou fod*, tudo dá certo pra mim, eu sou bom demais e é isso aí, tá ligado?’ Muita gente começou a me odiar, muita gente passou a me conhecer de uma forma muito pejorativa. Muitas portas se fecharam, meus números caíram, marcas não quiseram mais trampar comigo - alegou.

Vitão disse que ficou feliz, quando Whinderson entrou em contato com ele para lamentar sobre as mensagens de ódio na internet.

- Sim, pô mano, na real, nós troca ideia suavão hoje em dia. Até marca de se ver. A gente ainda não chegou a se trombar. Ele tá fazendo as fita dele lá. Acho que ele tá treinando pra lutar, acho que ele vai lutar. Mas, a gente já trocou ideia, sim, tipo, mano, depois (dos ataques). Antes, quando o bagulho (ataques) tava acontecendo, a gente não chegou a trocar ideia -
- Hoje em dia, a gente troca, suavão, toda hora. Teve um dia que ele veio me chamar e falar. Ele já vive essa coisa de internet há muito mais tempo que eu, em outras proporções, em uma proporção muito maior que eu, né? Então, ele falou: ‘pô mano, eu sei como é essa fita e pá, o bagulho é ser forte’. Eu falei: ‘pô, mano, daora’. Eu fiquei feliz do mano vir trocar uma ideia numa humildade máxima. Sempre fui fã dele -

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários