Professora, que desejou a morte de crianças e idosos, é demitida

Monique Varella Emer ficou indignada, após o candidato do PT à prefeitura de Caxias do Sul (RS) ter perdido as eleições municipais. Em dezembro de 2020, ela publicou nas redes sociais que desejava a morte de pessoas de direita.

- Da direita, quanto mais morrerem de Covid-19, de tudo: Aids, câncer fulminante, pra mim, melhor é. Já que a gente não pode fuzilar, então que vão na praça fazer bandeiraço e, se Deus quiser, morram tudo de Covid. Adultos, mulheres, idosos e crianças, não vale um. Não se salva um - disparou.

A Procuradoria-Geral do Município afastou a professora do município por 90 dias e, passado o tempo necessário das investigações, ela foi demitida da Prefeitura.

A docente já era investigada desde 2018 "por violência contra colegas professores e denúncias de bullying contra alunos".

O Procurador-Geral do município, Adriano Tacca, disse que a servidora foi desligada do serviço público em setembro e que tudo ocorreu dentro dos trâmites normais.

- No último mês e meio, foram demitidos seis servidores. Então, foi um procedimento normal. Esse caso gerou repercussão, mas, para a Procuradoria, foi procedimento comum, tudo dentro do normal. Esse é normalmente o tempo que temos de fazer procedimento dentro da corregedoria, talvez um pouco mais - avalia Tacca.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários