Rondônia proíbe linguagem neutra em escolas públicas e privadas

O Governo de Rondônia, sob o comando do policial militar Marcos Rocha (PSL) sancionou a Lei n° 5.123, vinda da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), proibindo o uso da linguagem neutra nas escolas públicas e particulares do Estado.

- Expressamente proibida a linguagem neutra na grade curricular e no material didático de instituições de ensino públicas ou privadas, assim como em editais de concursos públicos - diz parte da nova lei, que já está em vigor desde a terça-feira (19).

A linguagem neutra ou não-binária é utilizada por um público muito restrito que não se identifica com o gênero feminino ou masculino.

Os parlamentares argumentam que é preciso proteger a língua portuguesa e o correto aprendizado da gramática pelas novas gerações, de acordo com a normal culta.

Professores flagrados ensinando o código binário poderão sofrer sanções.

A professora de português, Cíntia Chagas, 38 anos, que é uma das favoritas em plataformas online, disse, em recente entrevista, que a linguagem neutra; ao invés de incluir, exclui.

- Exclui os disléxicos porque promove mais confusão: ‘elu’. Exclui os cegos, que fazem leitura por meio de softwares e gera mais uma dificuldade para eles. Exclui os surdos que fazem leitura labial e ele exclui, sobretudo, uma maioria: os não binários não compreendem nem 2% da nossa sociedade –

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários