DC: Superman, que agora é bissexual, também aparece militante e ativista ambiental

Após anunciar a bissexualidade de superman, a DC Comics, editora de quadrinhos americana, agora lança Superman como militante e ativista ambiental.

O eterno inimigo de Lex Luthor já soma mais de 80 anos em atividades, desde sua aparição em 1938. Depois desse tempo todo, a DC achou que ele deveria se “modernizar” e fez o personagem mais parecido com o contexto atual. Por isso, na próxima edição da revista “Superman: Son of Kal-El”, recentemente, divulgada nas redes sociais, o Superman segura um cartaz onde está escrito “greve escolar pelo clima”.

Ao lado do herói, há outros militantes com placas nas quais se lê: “justiça climática” e “não existe planeta B”.

O filho de Clark Kent, Jon Kent, “assume” o lugar do pai nos quadrinhos e já se apaixona por outro homem. Essa nova versão do super herói foi criticada por Dean Cain, que, por muitos anos, interpretou o personagem, e chegou a dizer que não havia “nada de novo” na história, além de lacração.

- Por que eles não pegam ele e fazem ele lutar pelas injustiças que criaram os refugiados cuja deportação ele está protestando? Isso, sim, seria corajoso. Eu leria sobre isso. Ou lutar pelos direitos de mulheres de frequentar a escola e trabalhar e viver? E meninos não serem estuprados por homens, sob o confortável e agradável Talibã? - sugeriu Dean.

O senador republicano, Josh Mandel, também se opôs ao “novo momento” do Superman e disparou nas redes sociais:

- Quadrinhos bissexuais para crianças. Eles estão literalmente tentando destruir a América - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários