Se Congresso aprovar, Reforma Administrativa pagará Auxílio Brasil, afirma Guedes

O Ministro da Economia do Governo Bolsonaro, Paulo Guedes, afirmou, neste domingo (24), que a reforma administrativa vai pagar os R$ 30 bilhões que o governo precisa para pagar o Auxílio Brasil, do Governo Federal no valor de R$ 400. O benefício é a junção do Auxílio Emergencial, concedido durante a pandemia da Covid-19 e o Bolsa Família.

Caso a reforma seja aprovada, Guedes garante que “não teria problema” em conceder o auxílio aos mais necessitados e a União nem ultrapassaria o teto de gestos. Mas, tudo isso vai depender da aprovação do Congresso Nacional.

- Eu sou defensor e vou continuar defendendo teto, agora, o presidente tem que tomar decisão política muito difícil. Eu tenho que calibrar essa ajuda - explicou.
- São R$ 300 bilhões, pelo menos, que economizamos para o futuro sem atingir nenhum dos funcionários atuais, simplesmente pelo disciplinamento e meritocracia nas contratações futuras - afirmou.
- O presidente precisava de R$ 30 bilhões a mais, e o Senado não avançou com a reforma do Imposto de Renda, que daria essa fonte -

O ministro também aproveitou o momento para pedir que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que lançou candidatura à presidência do Brasil em 2022, ajude a avançar as reformas.

- Se ele (Rodrigo Pacheco) não avançar com reformas, como vai defender a própria candidatura? Não pode fazer militância também. Temos que acelerar (a aprovação da) PEC dos Precatórios. Ele sabe que estamos no caminho certo - disparou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários