TSE pretende usar chapa de Bolsonaro como “exemplo” para que candidatos não utilizem muito as redes sociais nas campanhas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgará, nesta terça-feira (26), duas ações que pedem a cassação da chapa do presidente Jair Bolsonaro e o vice dele, o general Hamilton Mourão, de 2018. O Tribunal pretende utilizar os dois como “exemplos” de que não se pode disparar mensagens em massa durante campanha eleitoral.

Isso não quer dizer que a chapa do presidente Bolsonaro tem argumentos suficientes para ser cassada. Mas, ao que parece, o Tribunal e os adversários políticos do chefe do Executivo querem mantê-lo sempre sob pressão; para que utilize, cada vez menos, as redes sociais e outros aplicativos na internet.

O relator é o ministro Luís Felipe Salomão, o mesmo que mandou desmonetizar os canais de direita e conservadores que apoiavam o Governo do presidente Jair Bolsonaro. A interlocutores, ele disse que Bolsonaro utilizou demais o WhatsApp e que isso contraria a lei. Na visão dele, comunicação excessiva nos aplicativos e redes sociais “desagrada” a Constituição Federal.

O julgamento dessas ações vai nortear todo o processo eleitoral do ano que vem e definirá as regras de campanha dos candidatos em todo o Brasil.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários