Por unanimidade, STF nega habeas corpus a Roberto Jefferson

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram, por unanimidade, que o presidente nacional do PTB e ex-deputado federal, Roberto Jefferson, deve continuar na prisão e negaram pedido da defesa para que lhe seja concedida a prisão domiciliar.

O ex-parlamentar está preso desde meados de agosto deste ano, por determinação do ministro Alexandre de Moraes. O magistrado alegou que Jefferson fazia parte de uma suposta milícia digital e que ataca, insistentemente, as instituições democráticas nas redes sociais.

A defesa do ex-deputado fez pedido de habeas corpus algumas vezes e informou aos sistemas judiciário e penitenciário que Jefferson tem várias enfermidades sérias e uma saúde bastante debilitada. Mesmo assim, Moraes não acatou a solicitação dos advogados.

Em plenário virtual, os ministros julgaram que Jefferson é um “risco para a sociedade” e mantiveram o presidente do PTB preso. Ele, por sinal, está internado no hospital penitenciário, em Bangu 8, no Rio de Janeiro, desde sábado (23), pelo agravamento de seu estado de saúde. Na cadeia, ele já teve taquicardia, infecção urinária, dores lombares e piora dos rins.

Não há prazo para o político deixar a prisão.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários