CPI da Covid acaba de aprovar o pedido de banimento de Bolsonaro das redes sociais

Os senadores integrantes da CPI da Covid-19 acabaram de aprovar, nesta terça-feira (26), pedido de banimento das redes sociais do presidente Jair Bolsonaro, por ter citado, em live de quinta-feira (21), um estudo científico britânico no qual é relacionado a progressão rápida da Aids em pessoas que foram completamente vacinadas contra a Covid-19.

Os congressistas de oposição também encaminharam ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que é relator do inquérito das Fake News, a gravação do momento em que Bolsonaro citou o estudo.

- Eu acho que o Congresso deveria se posicionar quanto a isso. É muito grave. A Presidência é uma instituição, não é um cargo de boteco que você fala o que quer como se tivesse tomando cerveja e comendo churrasquinho”, alegou o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que é investigado na Corte pelo desvio de R$ 250 milhões da Saúde do Amazonas, quando era governador do Estado.

Ainda na segunda-feira (25), o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente, postou nas redes sociais matéria da Revista Exame, de outubro de 2020, em que o jornalista Rodrigo Loureiro escreveu:

- Algumas vacinas contra a Covid-19 podem aumentar o risco de HIV -

Em 23 de outubro, após a declaração do chefe do Planalto, a mesma revista criticou o presidente e disse que ele mentia.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários