“Zé Trovão” se entrega à PF em Santa Catarina

Após dois meses foragido, o caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, mais conhecido como “Zé Trovão”, se apresentou de forma espontânea à Polícia Federal em Joinville (SC), cidade onde ele reside, nesta terça-feira (26).

Zé Trovão era um dos líderes das manifestações em favor do presidente Jair Bolsonaro, do último dia 7 de setembro. Mas, antes do ato ser realizado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, mandou prendê-lo sob a alegação de que ele incitava e organizava atos antidemocráticos.

Quando soube da sua ordem de prisão, Zé Trovão abandonou o Brasil. Ele foi encontrado no México, mas a Polícia Federal não podia prendê-lo. Pois, o nome dele não estava na lista vermelha da Interpol. O caminhoneiro aproveitou a oportunidade, saiu do país e foi para o Peru.

Nesta terça-feira, no entanto, ele voltou por conta própria ao país. Ficou alguns dias com a família e, em seguida, foi à sede da PF em Joinville se entregar.

A defesa do caminhoneiro tentará converter a prisão preventiva em medidas cautelares, para permitir que ele cumpra prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica.

Antes de se entregar, Zé Trovão publicou um último vídeo em seu canal do Telegram e disse:

- Nesse 26 de outubro, eu me entreguei à Justiça brasileira, me apresentei à Justiça brasileira, porque, como diz o nosso hino, verás que um filho teu não foge à luta. E eu jamais iria abandonar o povo brasileiro - afirmou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários